VIADUTO DE ACESSO À PETROBRÁS (REFAP)

BR-116 – CANOAS (RS)

DESAFIO Vistoria do DNIT constatou aceleramento da ruína da estrutura de concreto do viaduto. Com fluxo de 170 mil veículos/dia, a paralisação do trânsito por, no mínimo, 60 dias era condição inviável. Mas não havia rota alternativa.
SOLUÇÃO Para evitar ruptura e desmoronamento, foi feito escoramento provisório das peças abaladas. A superestrutura de aço, dividida em módulos, foi construida a 4km de distância e transportada pronta, inclusive já pavimentada. Com a fundação reforçada, foi iniciada a demolição da estrutura antiga, sem explosivos, e a montagem simultanea da nova estrutura, à meia noite, quando o trânsito foi interrompido. O trabalho continuo permitiu a liberação do tráfego após 54 horas, incomparável aos 60 dias previsto nos estudos do DNIT.

Notícias

Ver Todas

Folheto InstitucionalClique Aqui

Destaque